quarta-feira, 18 de junho de 2014

De tarde no parque... e algumas horas em casa.

Conforme disse na postagem anterior "De tarde no parque", fiz dois desenhos naquele sábado, o que já postei e esse logo abaixo:


Depois de desenhado, preparei, já em casa, todo o aparato para aquarelar a imagem.


A minha ideia era fazer uma pintura um pouco mais rápida sobre o desenho, sem muitos detalhes e interferências na imagem original.


Porém, ocorre que em arte nem sempre se tem o domínio de tudo. Como já disse várias vezes aqui no blog, os trabalhos às vezes falam por si próprios e exigem algo que não foi planejado desde o princípio. Assim, depois de algumas camadas de aquarela sobre o desenho, senti a necessidade de experimentar um outro material ali em cima e acabei redesenhando a imagem com lápis de cor aquarelável.

"Sem título", técnica mista sobre Canson 200 g/m²,
29,7 x 42 cm, 2014.

O resultado foi bem interessante, um pouco diferente do que costumo fazer, mas eu fiquei satisfeito.

Essa característica da arte, de falar por si só, do que ela quer, do que deseja, do que precisa, é simplesmente fantástica! Só mesmo experimentando para conseguir compreender esse diálogo entre o ser criador e sua criatura inanimada.