sábado, 28 de junho de 2014

Com esferográfica

Depois de um bom tempo querendo começar a trabalhar com caneta esferográfica, eu finalmente comprei algumas coloridas e coloquei a mão na massa!

Não se trata de um material fácil, tão pouco artístico, mas tentei fazer o melhor que pude no momento.

Comecei, então, desenhando em um sketchbook com páginas recicláveis não por acaso. A cor do papel é algo de fundamental importância no desenho com esferográfica, pois, assim como ocorre com a aquarela, a carga da tinta não é suficiente para sobrepor a cor do suporte. Como ainda consegui achar uma caneta esferográfica de cor amarela para comprar, pensei que a cor de fundo ajudaria a compor o tom de pele da senhorita.


Depois de algumas horas de trabalho (e com um pouco de atraso devido a alguns imprevistos), cheguei a um resultado bem interessante (para um principiante na técnica). Precisei fazer um pouquinho de retoques no Photoshop, mas nada que alterasse a essência do trabalho. Afinal, meu desafio é sempre explorar o máximo (ou o máximo que eu consigo) de cada material.

"Sem título", caneta esferográfica colorida sobre sketchbook, 2014.

Vi que eu ainda tenho que treinar bastante, mas, para começar, tá tudo certo.

Em breve compartilharei mais dessas experiências.