sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Triste

"Olhar triste", guache e lápis aquarelável sobre 
moleskine, 2014.

Triste. Não porque a vida seja ruim; não porque tudo dá errado; não porque não existam motivos para sorrir...

Simplesmente triste.

Porque às vezes, mesmo com um universo colorido ao seu redor, uma nuvem cinza paira sobre os seus olhos.

A felicidade, nas palavras do filósofo Mario Sergio Cortella, é algo que só é bom porque é passageiro. Considerando, então, a tristeza como o oposto da felicidade, a relação entre as duas é maior do que parece. Tristeza não é perene. É, sim, intermitente. Ademais, ela sempre traz alguma coisa boa consigo - nem que seja apenas um aprendizado.

Portanto, independente do que seja, não é o fim do caminho, muito menos o fim do mundo. É apenas um fase, uma situação, um sentimento... e um olhar triste.