quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

O velho e bom amigo da vizinhança

Para mim, assim como para muitos estudantes e artistas que conheci, os quadrinhos foram a porta de entrada para desenvolver um contato maior com a arte. No meu caso, o Aranha (vulgo 'amigo da vizinhança') foi um personagem que sempre me interessou, principalmente quando era desenhado por Todd McFarlane (mesmo criador do Spawn), pois ele tinha um estilo bem exagerado, com olhos enormes e movimentos que mais lembravam um contorcionista.

Sempre gostei do personagem e o desenho desde a minha adolescência. Esse logo abaixo foi o último, feito em um dos sketchbooks de bolso no ano passado em momentos aleatórios para passar o tempo.

"Homem Aranha", caneta esferográfica sobre sketchbook, 2013.

Quando eu comecei a digitar esta postagem, fiquei pensando em alguns desenhos do Homem Aranha que já fiz e lembrei que eu tenho uma pasta de velharias, cheio de trabalhos bizarros em folhas amareladas pelo tempo. Eu fui atrás e, para a minha surpresa, não é que tinha mesmo um desenho do personagem lá! Na verdade, tinham dois, mas um deles estava muito ruim.

Sim, isso foi irônico, porque tudo que tem nesta pasta vai de mal a pior. Mas mesmo assim eu resolvi mostrar um deles aqui no blog.


Esse eu fiz quando tinha 14 anos, em mil novecentos e não vem ao caso. A folha está muito mal conservada, amassada, dobrada e borrada, um somatório de papel sem qualidade e desleixo. Claro que isso é mais do que comum para quem ainda não havia desenvolvido o costume de guardar os trabalhos. Mas mesmo assim eu ri bastante quando o vi.

Quando se encontra um texto antigo, até que ele seja lido você não recorda exatamente do que se trata; mas quando se encontra um desenho antigo, as recordações são quase que imediatas e ocorrem de tal maneira que é possível reviver o momento em que ele foi feito como se assistisse a uma cena de um filme.

Foi muito bom lembrar desse momento específico da minha adolescência. Se tiverem a mesma experiência, não deixe de me contar.