terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Sentindo na pele

"Sem título", grafite sobre papel, 2011.

Ainda na ideia de arrumar e personalizar a casa, começo o ano com um autorretrato simples para acrescentar ao perfil do blog – e das outras redes também – utilizando o rei-dos-reis dos materiais, o mais banal e, entretanto, o que nunca te abandona: o velho e bom grafite.

Experimente na própria pele, mesmo que ainda de leve, o trabalho de descorticação que já venho fazendo há um tempo e gostei do resultado. Essa já era uma vontade antiga que, não sei o porquê, eu não havia colocado em prática.

Seja como for, espero este seja o primeiro estímulo para a produção de um autorretrato em tela seguindo esta mesma poética, mas bem mais detalhado e visceral, claro...