terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Retrospectiva 2011 (parte 2)

Mais duas páginas do sketchbook de bolso que estavam esquecidas pelo meio do caderninho que está quase no fim.

É engraçado porque a falta de informações não permite lembrar exatamente o contexto em que cada desenho foi feito. Claro que o fato de a área desenhável ser pequena influencia na decisão de rabiscar, escrever ou fazer as duas coisas juntas.

Páginas abertas do sketchbook.

Na página da esquerda, eu reconheço o lugar, que é a vista de uma das paradas em frente à reitoria da UnB, e a data, dia 6 de abril de 2011.

Página esquerda do sketchbook

Mas a da direita, que é um desenho feito apenas dentro de um ônibus e sem alterações posteriores, eu já não lembro muita coisa. Recordo apenas que o fiz em outro dia, indo para algum lugar que não era minha casa, e que o “modelo” estava dormindo profundamente.

Página direita do sketchbook.

Que bom que as coisas importantes ficam guardadas na memória por um tempo mais longo – ou pelo menos deveriam ficar – ao contrário dos acontecimentos cotidianos que vão se perdendo com mais facilidade. Seja como for, tentar recordá-las é um bom exercício para a cachola. No caso do desenho dentro do ônibus, lembro que o cara ficou na mesma posição por mais ou menos uns 10 minutos, que tinha uma mulher sentada do meu lado espiando de rabo de olho, e que o ônibus era barulhento, estava sujo e balançava muito – se bem que esta última parte é desnecessária, já que qualquer pessoa que anda de ônibus em Brasília sabe perfeitamente disto, e esquecer é quase impossível...