quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Estudo para pintura

Estudando, como sempre, um pouquinho de anatomia para a próxima pintura.

O trabalho será um díptico em que cada tela possui o tamanho semelhante às telas que compõe o tríptico pintado para a conclusão de curso – ainda não postado aqui no blog –, 50 x 70 cm, pois tal tamanho segue a proporção de uma foto 3x4.

Continuo focado no estudo de rostos e hoje, depois de tanta observação e pesquisa durante o semestre que se passou, percebi duas coisas:
primeiramente, que as possibilidades de descorticação da face são quase infinitas, o que proporciona, a mim, aprofundar esta investigação em cima de cada detalhe, cada traço, cada expressão, bem como em cada músculo, nervo, cartilagem ou osso;
segundo, que o trabalho só se desenvolve artisticamente quando se “esgotam” as possibilidades de criação, ou seja, quando se produz ao extremo, de modo que se tenha uma extensa série de trabalhos que se sustentem como obras de arte.

Não preciso dizer que tenho ainda muito trabalho pela frente.
Isto, porém, não me preocupa em nada, pois agora sei o que me move como artista, qual a minha poética e como ela se sustenta na teoria e na prática. Conforme mostrado aqui no blog, esta pesquisa está completando um ano desde a ideia inicial e dos primeiros esboços. Entretanto, há ainda muito para ler, investigar e experimentar neste caminho em que enxergo, felizmente, mais acertos do que erros.

Aproveitei que estava em casa e fiz, pausadamente, o desenho que se segue, exibindo cada etapa do processo em um passo a passo desde os primeiros traços até o estudo concluído.

Primeiramente, as linhas bem fracas e com formas bem geométricas apenas para demarcar a área do rosto.



Em seguida, os primeiros traços mais delineados e o início das áreas de sombra.



Aqui, a região dos olhos e da boca com maiores detalhes, assim como as áreas de sombra e do cabelo com maior contraste.



Terminando algumas áreas e dando ênfase aos músculos da órbita ocular e da testa.



E, para concluir, a finalização dos demais detalhes e a adição de maior contraste em todo o rosto.



Este, provavelmente, será o lado direito do díptico. Alguns detalhes ainda serão, como sempre acontece, alterados no momento de transferência para a tela e no ato da pintura. O estudo é importante para definir melhor as áreas de luz e sombra, já que isto é primordial para se alcançar o volume do rosto e proporcionar maior naturalismo.

Em breve, postarei as próximas etapas do processo, bem como o processo do tríptico concluído recentemente.